22 de agosto de 2010

Será o Facebook para Empresas?


Nos dias de hoje em que mais de 500 milhões de pessoas estão no Facebook, como é possível que apesar de tudo, existirem ainda empresas que acham, que ainda não vale a pena estar nesta rede social, mas será assim? Para responder a esta questão, acho que é fundamental responder a algumas questões e retirar os receios existentes. Aqueles que pensam que não vale ainda a pena recordo que a decisão está no consumidor e não na empresa detentora da marca, se não vejamos se a pessoa ficar muito satisfeita com um produto ou serviço pode influenciar outras como é normal, assim como se não gostar também o  pode comunicar, mas se usar um canal de comunicação como as redes sociais vai distribuir esta informação a quantas pessoas? A sua empresa não está lá, ninguém vê atempadamente e cria uma bola de neve.
A presença no Facebook adequa-se a qualquer tipo B2C, B2B, ou ainda C2B (Sobre esta última tem tudo que ver com o advento das Web 2.0) e porque as pessoas de todas as faixas etárias e gostos estão nesta rede social.

Após esta introdução vamos lá ver o que podem ser boas práticas no Facebook que eu utilizo e outras que passado algum tempo comecei também a usar, mas como ninguém é perfeito (eu também não sou, como é óbvio), mas com o passar do tempo quem entrar em último nesta rede vai ter menos tolerância ao erro, por parte das pessoas.

Vamos estabelecer um processo para começar a utilizar o Facebook como um canal de comunicação na minha empresa, vejamos então o processo:
  1. Estabelecer objectivos
  2. Criar uma estratégia
  3. Inscreverem-se no Facebook como individuos
  4. Criar uma página, ou um grupo mediante os objectivos 

Ao estabelecer objectivos, estes devem ser claros e com a validade respectiva,  para que todos dentro da organização percebam o que se pretende, ou seja, numa empresa será o aumento de vendas e a retenção de clientes, com a diminuição de custos.



Criação de uma estratégia  ( não existem modelos que possam ser copiados e ou imitados e que resultem para todos os ramos de actividade) :
  • Ver, Ouvir e Ler como os outros interagem 
  • Ouvir a Voz do Cliente 
  • Criar “Personas” como o João e a Maria 
  • Comunicação de produtos e serviços não deve ser exaustiva 
  • Comunicar através deste canal promoções exclusivas para "sentir" o cliente
  • Criar jogos e widgets
  • Ter uma Estratégia de eBusiness na empresa (ver artigo que publiquei sobre eBusiness)
  • Definir metas tangíveis na organização 
  • Definir politicas internas sobre o uso de redes sociais (Valores, Ética, responsabilidade social)
  • Responder sempre ao Cliente ou potencial Cliente em tempo útil.
Inscrever-se no Facebook é o 1º passo 



Não se deve esquecer de preencher de forma adequada todos os seus contactos e preferências, assim como a privacidade.

o 2º passo passa por criar um página na minha opinião a melhor opção,

 se não vejamos as diferenças:
  • Paginas 
    • Representa uma Entidade ou uma Marca 
    • O envio de actualizações 
    • Aparece no mural de noticias dos “Fãs” 
    • São indexadas na totalidade pelos motores de pesquisa 
    • Permitir instalar todas as aplicações disponíveis no Facebook
  • Grupos 
    • Envio de mensagens 
    • Não aparece no mural de noticias dos aderentes 
    • Menor visibilidade em relação às paginas
Não esquecer que quando efectua uma actualização da página, o logo da sua página aparece no mural da pagina e dos seus "Fãs", por isso não necessita de ter um individuo registado como se fosse uma empresa.

16 de agosto de 2010

Utilitário ClickTale - Heatmaps e não só

Esta ferramenta da Clicktale está indicada para quem, quer ver como os visitantes utilizam o Web Site, de forma a este poder ser optimizado a nível de usabilidade.

Neste ecrã em baixo podemos ver os "Heatmaps", mas que o que são e o que fazem é a sobreposição a uma página web para podermos ver as cores mais quentes, pode visualizar por acções no Web Site dos utilizadores:
  • Como os utilizadores do web site movimentam o rato(mouse move)
  • Aonde clicam (Clicks)
  • Como desce a navegação da página para ler (Scroll Reach)
  • Aonde tem mais atenção (Attention)

Vejam aqui um exemplo de como os utilizadores movimenta o rato (mouse move)




Vejamos o ecrã principal:


Este permite visualizar sessões gravadas dos visitantes em que configuramos, qual a frequência que o ClickTale faz a gravação. Em baixo visualiza-mos uma gravação:


Tem relatórios que podem utilizar para ter tendências tais como interacção e tempo, no caso deste relatório em baixo poderá indicar que o visitante encontra rapidamente o que procura e lê e tem pouca interacção.
Pode também criar alertas para seguir visitantes de um determinado País ( Exemplo: Portugal e Brasil) de forma a observar comportamentos, para que possamos verificar tendências.


Notas Finais:
  • O Clicktale tem uma versão gratis, assim como outros planos que permitem ter outras opções que permitem outro tipo de análise e avaliação consultem o site em http://www.clicktale.com
  • Devem efectuar um filtro na vossa ferramenta de Web Analytics afim de não contar com este tráfego

partilha com os teus

Pin It

Mensagens populares